Nomes de Família como Pontos de Acesso Autorizados de um Registro Bibliográfico

Autores

  • Marcia Carvalho Rodrigues Universidade Federal do Rio Grande

Palavras-chave:

Nomes de família, CCAA, RDA, Formato MARC 21 para Dados de Autoridade

Resumo

A padronização dos nomes de família segundo regras de catalogação tem sido ineficaz até o momento. O Código de Catalogação Anglo-Americano (CCAA), não identifica as famílias como entidades capazes de autoria, o que impossibilita o tratamento adequado deste tipo de informação nos registros bibliográficos. O Recursos: Descrição e Acesso (RDA), novo conjunto de regras de catalogação, permitirá o uso de nomes de família como autores, estabelecendo regras para sua formação. Este artigo buscará discutir o que é um nome de família sob a perspectiva da representação descritiva, tecendo considerações sobre o tratamento dado aos nomes de família pelo RDA, identificando as mudanças decorrentes do novo código no formato MARC 21 para Dados de Autoridade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcia Carvalho Rodrigues, Universidade Federal do Rio Grande

Bacharel em Biblioteconomia, Mestre em Letras, Cultura e Regionalidade. Professora assistente do Instituto de Ciências Humanas e da Informação da Universidade Federal do Rio Grande - FURG. Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural da Universidade Federal de Pelotas - UFPEL.

Downloads

Publicado

2013-10-21

Como Citar

Rodrigues, M. C. (2013). Nomes de Família como Pontos de Acesso Autorizados de um Registro Bibliográfico. BIBLOS, 27(1), 71–92. Recuperado de https://www.seer.furg.br/biblos/article/view/3231

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)